Aprenda openEHR sem sair de casa e ao seu ritmo!


Curso Online: Introdução à Norma openEHR

Curso certificado pela Universidade do Porto e creditado com 1,5 ECTS

Creditado pela SBIS - Sociedade Brasileira de Informática em Saúde


Realização

Parcerias


Introdução ao curso




Visão geral do uso do openEHR




Encontrar arquétipos no CKM

1. Introdução

  • Introdução ao curso (ver vídeo-aula)
  • Visão geral do uso do openEHR
  • Registros eletrônicos à prova do futuro – parte 01
  • Registros eletrônicos à prova do futuro – parte 02

2. Informação em saúde

  • A importância da informação para o profissional de saúde
  • A informática na saúde
  • O que é um RES
  • Realidade Portuguesa
  • Realidade Brasileira (Portaria do MS Nº 2.073, CFM/SBIS)

3. Interoperabilidade semântica

  • Níveis de interoperabilidade
  • Terminologias e ontologias
  • HL7 e ISO 13606

4. Arquitetura openEHR

  • Evolução para o openEHR
  • Objetivos da arquitetura
    • Múltiplos ambientes
    • Registos clínicos longitudinais e compartilhados
    • ISO 18308
  • Estrutura multinível (modelo de referência, domínio clínico e terminologias)
  • Consequências para a engenharia de software
    • Sequência de desenvolvimento tradicional (nível único)
    • Novo método focado no modelo de referência

5. O gestor de conhecimento clínico: CKM

  • Clinical Knowledge Management
  • Processos de publicação de arquétipos no CKM
  • Encontrar arquétipos no CKM (ver vídeo-aula)
  • Utilizar arquétipos do CKM

6. Entendo os arquétipos

  • Archetype Definition Language (ADL)
  • Etapas do processo clínico
  • O que são arquétipos
  • Tipos de arquétipos
  • Detalhes de cada categoria de arquétipo
  • Comparação entre as categorias de arquétipos
  • Como obter o Archetype Editor
  • Familiarização com os espaços de trabalho
  • Os possíveis Data Values
  • Inserção de terminologias e ontologias
  • Traduções de um arquétipo
  • Registar a criação

7. Criando os templates

  • Estruturação de um formulário
  • Conceito de peças LEGO
  • Como obter o Template Designer
  • Preparação do repositório para uso
  • Localizar o repositório local
  • Familiarização com os espaços de trabalho
  • Como começar
  • Como modelar o conteúdo
  • Exportar o template

8. Implementações

  • Ciclo de desenvolvimento
  • Bases de dados
  • Serviços
  • Desenho de formulários
  • Exemplos de implementações
  • Biblioteca JAVA

Período de candidaturas:

10 de agosto a 14 de setembro de 2015

Período de matrículas:

14 a 29 de setembro de 2015

Duração do curso:

01 de outubro a 30 de novembro de 2015


GUSTAVO MARÍSIO BACELAR DA SILVA

Médico pela Escola Bahiana de Medicina (2005), MBA Executivo em Gestão Empresarial pela FGV (2007), Residência em Oftalmologia (2010) e Mestre em Informática Médica pela Universidade do Porto (2012).

É consultor de gestão e inovação em saúde, investigador do CINTESIS e autor do livro Manual de Introdução à Norma openEHR. Também é Membro Qualificado e Líder do Programa de Localização da openEHR Foundation e da Theory of Constraints International Certification Organization.

RICARDO JOÃO CRUZ CORREIA

Licenciado em Ciência da Computação e com doutoramento sobre a integração dos Sistemas de Informação Hospitalar pela Universidade do Porto. É Professor Auxiliar da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto das disciplinas sobre Informática Médica no Mestrado em Informática Médica, do qual foi fundador e diretor nos últimos 2 anos. Tem colaborado na implementação de vários registos clínicos departamentais e no desenvolvimento de normas internacionais específicas para interoperabilidade e arquiteturas de informação em registos clínicos


Este curso tem os seguintes objetivos:

  • Orientar sobre os processos de modelagem de conteúdo clínico
  • Apresentar a arquitetura de Registro Eletrônico de Saúde baseada no modelo openEHR
  • Capacitar o uso das ferramentas de modelagem de arquétipos e templates
  • Introduzir os participantes ao Gestor de Conhecimento Clínico (openEHR CKM)
  • Estimular a participação e contribuição de profissionais de saúde na criação e manutenção de uma biblioteca de arquétipos em língua portuguesa
  • Estimular a integração na comunidade internacional

Destinatários:

Profissionais de saúde, engenheiros informáticos, cientistas da informação ou da computação, investigadores ou estudantes.

Condições de acesso:

Detentores de certificação do ensino secundário ou habilitação nacional ou estrangeira legalmente equivalente. Será dada preferência a profissionais, investigadores ou estudantes das áreas da Saúde, Ciências da Informação e Computação.

Critérios de seleção e seriação e respetiva ponderação:

Os candidatos à matrícula no curso serão selecionados com base na avaliação curricular (formação pré e pós-graduada e experiência profissional).

Pré-requisitos:

Será necessário o acesso pessoal à Internet para leitura de conteúdos e participação em sessões síncronas de conversação com os professores. Para utilização das ferramentas será preciso um computador com sistema operativo Windows.

Metodologia de ensino:

Cada tema do conteúdo programático da Unidade de Formação corresponde a uma semana do Curso. O ensino será realizado a partir de um conjunto de materiais audiovisuais (ex. vídeos produzidos especialmente para este efeito, vídeos sugeridos, documentos, etc.) e ao fim de cada semana haverá uma sessão online para esclarecimento de dúvidas ou realização de entrevistas. Haverá também um conjunto de exercícios com autocorreção para os estudantes exercitarem os conhecimentos adquiridos.

Avaliação:

A aprovação no curso será efetuada com base no exame final e nos trabalhos práticos da unidade sobre arquétipos e templates.

Valor da matrícula:

280€ (aproximadamente R$ 920) - inclui propina, seguro e certificado.

  • Pode ser pago em 2 x 140€.
  • O pagamento pode ser efetuado com cartão de crédito.

Descontos (sobre o valor da propina):

  • 15% para grupos de pelo menos 3 elementos.
  • 20% para membros da SBIS - Sociedade Brasileira de Informática em Saúde.
  • 20% para membros da E-MAIS.
Nota: descontos não acumuláveis.

Certificação:

Creditado pela Universidade do Porto em 1,5 Crédito ECTS.

Creditado pela SBIS - Sociedade Brasileira de Informática em Saúde.